Não me deixa morrer pediu o rapaz que não resistiu ao Covid-19

0

De acordo com a prima do rapaz, Geizica Cristina Benedito, os sintomas do rapaz começaram no início de novembro e, entre idas e vindas à unidades de saúde, ele não tinha sido diagnosticado. Ele sentia dores nas costas, cansaço e falta de ar. Os sintomas não melhoravam e ele precisou ser internado no Hospital Emílio Ribas, em Guarujá, no dia 18 de novembro.

“Ele pediu para não morrer, segurou na mão do pai e disse ‘não me deixa morrer’, agoniado porque não conseguia respirar”, disse a prima Geizica Cristina Benedito ao G1 nesta sexta-feira (18).

A confirmação de que Erick estava com Covid-19 só saiu no dia 23, quando ele já estava internado. Os familiares apenas entravam em contato com ele através de telefonemas e o último foi no dia 15 de dezembro. A família está chocada com a morte de Erick, pois ele não frequentava festas, conta, mas ficava exposto diariamente pelo trabalho. 

“Você imagina ‘sou novinho, não vai acontecer comigo’. Mas não é assim, casos como do Erick são um exemplo. Vi o pai dele falar que nunca pensou que passaria por uma dor tão grande de escrever o nome do filho na campa. É preciso ter cuidado”, finaliza Geizica.

Com informações do portal G1 Santos 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here