População protesta contra mau uso do dinheiro público na Educação em Itapevi

0

Manifestação foi organizada por Marcos Godoy, o Teco, presidente do PSD Municipal e reuniu cerca de 300 pessoas em frente ao Centro de Formação dos Professores, na região central da cidade. O protesto foi contra o mau uso do dinheiro público feito pela Administração Ruth-Jaci

A manhã do último sábado, dia 30, foi marcada por um protesto de cerca de 300 pessoas contra a administração do prefeito de Itapevi Jaci Tadeu da Silva e sua secretária de governo, a ex-prefeita Ruth Banholzer. A manifestação foi organizada pelo Partido Social Democrático (PSD) de Itapevi, presidido por Marcos Godoy, o Teco, e aconteceu em frente ao Centro de Formação dos Professores Anísio Spínola Teixeira, na região central da cidade, cujo prédio começou a ser construído há quatro anos, está em funcionamento há mais de 12 meses, mas ainda está inacabado.

 

“A nossa indignação é que este prédio, que custou mais de R$ 12 milhões, demorou três anos para ser construído, já está funcionando há um ano, mas ainda não está pronto. O teatro e a biblioteca que deveriam funcionar aqui não têm nem previsão de quando ficarão prontos”, explicou Teco.

Segundo ele, enquanto essas obras não ficam prontas, a Prefeitura está pagando R$ 50 mil reais por mês de aluguel, onde montou a biblioteca, e mais de R$ 10 mil reais de aluguel mensal em outro espaço para realizar os eventos culturais. “São mais de R$ 800 mil mil gastos, por ano, para manter espaços que já deveriam estar funcionando aqui no prédio, a custo zero”, explicou o presidente do PSD.

Durante a manifestação, que contou ainda com as presenças dos vereadores do PSD, Tininha Godoy, e Luciano de Oliveira Farias, o Bolor, o microfone ficou à disposição de populares que também manifestaram sua insatisfação com a administração municipal, tanto na área de Educação, com a falta de vagas nas creches, a entrega tardia de uniformes e materiais escolares; como na área da Saúde, com a falta de médicos nos prontos-socorros e unidades básicas de saúde e até com os piscinões inacabados que viraram criadouro do mosquito Aedes Aegypti, transmissor do zica vírus e da dengue. No ano passado, Itapevi viveu uma epidemia de dengue que atingiu milhares de pessoas. Em 2015, a doença foi a responsável pela morte de cinco itapevienses.

Apoio aos funcionários municipais

Durante o protesto, os manifestantes também demostraram apoio aos funcionários públicos, que esperam há anos pela regulamentação do Plano Municipal da Educação. O ato político durou cerca de duas horas e durante todo o tempo, os manifestantes entoaram palavras de ordem como “Prefeito ausente, educação decadente!”, “Não, não, não, roubalheira com o meu dinheiro, não!” e “Professor é meu amigo. Mexeu com ele, mexeu comigo!”.

Ao final do protesto, os manifestantes cantaram o tradicional Parabéns e cortaram um bolo, para ironizar o “aniversário” de quatro anos do prédio inacabado da Educação, que foi construído em meio a escândalos, e também está sendo investigado pelo Tribunal de Contas, com suspeita de irregularidades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here